Home » Perguntas Frequentes »

Como se cálcula uma unidade de Ar Condicionado?

Tabela de cálculo de uma unidade de Ar Condicionado

MÉTODO DE CÁLCULO

Determinar as dimensões do espaço útil a climatizar, no comprimento e na largura.

Uma vez assinaladas as dimensões do local, as linhas que as representam cruzam-se num ponto que determina a capacidade em BTU´s/Hora, necessários para a área do local em causa.

Esta tabela garante uma necessidade de capacidade aproximada, no que se refere a locais simétricos, com poucos ocupantes no seu interior e de outros ganhos de pouca importância, como sejam dormitórios, escritórios, etc.

Para locais de consideráveis superfícies de janelas orientadas para o sol, de grande amplitude, de certo número de ocupantes e de ganhos de calor provenientes de cozinhas e similares, como sejam: restaurantes, bares, zonas industriais, etc., é necessário a utilização de outro tipo de tabelas de cálculo.


Como posso saber os Decibéis de cada unidade de Ar Condicionado?

Nos catalogos comerciais deve de vir os Decibeis (dB - Nível de ruido) das unidades de Ar Condicionado.

 

Consultar Tabelas:

             

    Nível de ruído     

dB(A)

Limite de exposição

diária aconselhável

85

8 Horas

86

7 Horas

87

6 Horas

88

5 Horas

89

4 Horas

100

1 Hora

110

15 Minutos

115

7 Minutos


Quais são as condições de conforto?

Existem 4 condicionates para obeter o máximo conforto dentro de casa:

1º Porquê a temperatura?

2º Porquê Humidificar?

3º Porquê Desumidificar?

4º Porquê Purificar o ar? 


Porquê a Temperatura e o Vento do Ar?

 

No VERÃO a sensação de calor ou frio que o corpo humano sente é frequentemente afectada por vários factores. O corpo humano liberta constantemente calor e qualquer factor que interfira na taxa de perda desse calor afecta a sua sensação de calor ou frio. Além da temperatura do ar os outros factores significativos que afectam o conforto do corpo são: humidade relativa, pureza do ar, e vento.

Como a evaporação (o suor ou a evaporação gasosa) é o processo de arrefecimento que regula a temperatura do corpo, quando o ar está muito húmido, a perda de calor é dificultada. Por isso, um dia quente e húmido parecerá mais quente e é mais desconfortável que um dia quente e seco.

No INVERNO o desconforto com o frio é aumentado pelo vento, que aumenta a sensação de frio. O vento acelera o arrefecimento corporal devido à troca do ar quente do corpo pelo ar frio ambiente (ex: soprar para o rosto ou andar de mota com roupa insuficiente). Como exemplo, quando a temperatura do ar é de +8ºC com velocidade do vento em 20Km/h, a sensação de temperatura no corpo é aproximadamente 0ºC.

Temperatura Real e relação à Velocidade do vento 

 


Porquê humidificar o ar?

Ambiente Seco
Além da temperatura, jactos de ar (vindos dos equipamentos) e pureza do ar, o 4º factor de conforto é a quantidade de água no ar (humidade ambiente). Os equipamentos domésticos de ar condicionado aquecem ou arrefecem o ar da casa sem contacto ou troca com o ar exterior e secam o ambiente canalizando a água deste para a rua.
No Inverno os radiadores em permanência vão secando o ambiente, que se nota nos olhos garganta nariz etc... As consequências do ar seco são severas para a saúde.
Arejar a casa no inverno não é o bastante para evitar a secura do ar, num dia frio uma longa abertura arrefeceria muito a casa. Nestes dias, a exemplo das pessoas, o ar ambiente interior também tem “sede”.
Então a arte é dar-lhe de “beber” até a mistura (humidade relativa) estar ideal. Se não o fizermos artificialmente o ar ambiente irá “beber” essa água à nossa pele, membranas mucosas, plantas, mobílias de madeira etc...
A humidade relativa do ambiente é medida com um higrómetro aparelho de se encontra facilmente no mercado.
A classe médica recomenda uma humidade relativa entre 40% e 60% como ideal para a nossa saúde.

Consequências do ar seco 

Desconforto, cansaço, mal estar.
Respirar ar seco dificulta a transferência de oxigénio para o sangue. Fadiga, cansaço e redução dos níveis de concentração são sintomas dum insuficiente fornecimento de oxigénio.
Estragos em obectos de madeira.
 
Mobília e outros objectos de Madeira têem uma superfície porosa. Quando expostos ao ar seco podem aparecer falhas e zonas estaladas na madeira.
 
Aumenta a susceptibilidade a constipações.
 
A função de auto limpeza das mucosas é afectada pelo ar seco em consequência aumenta a susceptibilidade de surgirem infecções das vias respiratórias.
Aumento dos níveis de poeira.
 
A humidade assenta o pó ( borrifa-se para varrer). Uma divisão seca tem uma grande quantidade de poeira em suspensão.
 
Pele seca.
 
A baixa humidade relativa resulta na perda da hidratação natural da pele, ficando seca áspera e escamosa e tem maior tendência para o aparecimento de zonas inflamadas (avermelhadas).
 
Desafina instrumentos musicais.
 
Os instrumentos musicais de cordas em madeira desafinam neste ambiente .


Porquê desumidificar o ar?

Ambiente Humido

A taxa de humidade representa a quantidade de água no ar. Abaixo de 35% a 40% o ar está seco, acima de 65% a 70% o ar está húmido, prejudicando a saúde, equipamentos e materiais.

Quando não está em níveis satisfatórios, gera a formação de mofo e fungos, entre outros, facilita o aparecimento de organismos microscópicos (ácaros) que afectam directamente a saúde, principalmente a pessoas com alergias respiratórias.

A forma ideal de acabar com esses pequenos organismos, ácaros, mofo, fungos etc. é evitar o seu desenvolvimento, propiciando-lhes um mau ambiente, para que isso aconteça, é necessário manter a humidade relativa em níveis de 40% a 60%.

Afirma o médico Prof. Dr. Salomão Chaib, "não chega esterilizar o ar (limpar o pó, desinfectar)... A solução, além da limpeza sistemática, é ter o ar mais secoDESUMIDIFICAR.

A desumidificação, é o avanço mais recente no campo da climatização de ambientes, pois completa o tratamento do ar.

Gráfico de Desumidificador e Humidificador

   


Porquê purificar o ar ambiente?

Prevenção

As medidas de prevenção evitam ou minimizam a ocurrência de alergias. A prevenção é muito importante nos primeiros 5 anos de vida.
 
Ar = a vida

O ser humano respira cerca de 20.000 vezes ao dia. Inala aproximadamente 12.000 litros de ar para os pulmões, para obter o oxigénio necessário para viver.

No entanto o tempo passado em ambiente de ar puro, praia ou floresta é reduzido. Pelo contrário 80 a 90 % * do tempo é passado dentro de paredes (casa ou emprego) onde o ar é muito pior.

Existem 20 milhões de partículas num metro cúbico de espaço nas nossas casas. Este número é 20 vezes maior do que no exterior e 200 vezes maior do que junto ao mar.
A agravar a situação ao manter o conforto nas nossas casas temperatura entre 19 ºC a 23 ºC criamos também condições para a proliferação dos parasitas, ácaros, fungos, bactérias, vírus etc...
A purificação do ar e o controle da percentagem de humidade desempenha um papel chave na protecção da nossa saúde.
* este valor europeu estimado, 80 a 90% (2,5 a 5 horas) no exterior é acima da média portuguesa onde os locais eleitos são os centros comerciais, tendo-se perdido o hábito de ir para parques ao ar livre ou para o campo).
 
Tabela de Particulas

Esquema de problemas humanos 

 


Outras Perguntas Frequentes



NAO PREENCHER (anti-spam): ( deixe em branco )

Pedido de Informações
Precisa de informações adicionais? Não encontrou o que procurava? Não hesite em contactar-nos:



Conhece alguém que beneficiará da informação, produtos ou serviços disponibilizados nesta página? PARTILHE-NOS!